Cinecartaz

Jorge

A ver

O filme não é assim tão mau. A meu ver, há uma falta de suspense como no original, já que Krueger aparece muito rapidamente na maioria das vezes. Como dizia Hitchcock "is not the jump that scares you"! Penso que não foi criado o ambiente escuro e sinistro como no filme de 1984, e não é explicado (quem não viu o original não percebe) a razão pela qual a maior parte dos sonhos são na caldeira. No entanto, neste “remake” a fotografia e as representações são bem melhores que no original. Heather Langenkamp faz um papel digno de um Razzie, e é acompanhada pelo resto do elenco (mesmo Depp). Apesar de no original os sonhos aterrorizarem, as cenas de perseguição são de rir (rever a o 1º sonho de TIna quando Freddy lhe aparece). O Freddy de Jackie Earle Haley incomoda mais que o de Englund, já que o filme deste ano introduz o tema pedofilia, que não é muito explorado no 1º filme, dando um ar menos cómico ao personagem, tema que era muito abordado pelo Freddy de 1984. Jackie Earle Haley foi bastante competente e teve o seu próprio carisma. Há cenas muito bem conseguidas, como a abertura no restaurante, a cena na farmácia, a perseguição e morte de Jesse (aquele grito arrepia), a procura de Krueger e batalha final. Penso que o ódio pelo filme não é justificado, é um “remake” e é normal que toque a sensibilidade de alguns, por ser um tesouro inalcançável e incomparável.

Publicada a 25-05-2010 por Jorge