Cinecartaz

Espectador cansado ao quadrado

O deleite do preciosismo

Caro José Neves, agradeço o reparo mas mantenho a frase «os diálogos de "América" estão simplesmente geniais!». Isto porque, à margem de puritanismos gramaticais, os diálogos deste filme não surgiram por alma do Espírito Santo: se eles «são» geniais ou têm qualquer outro atributo, alguém os teve de pôr assim. Objectivamente, não «foram» sempre assim, alguém os criou, moldou, ajustou, trabalhou até que ficassem como «estão». Quanto à sua crítica aos ditos e ao próprio filme, a leviandade com que sublinha que não passam de banalidades repetidas à exaustão assusta-me: é esta aparente facilidade na criação de diálogos para cinema – mas não só, convenhamos – que deita por terra a tentativa de algo maior por parte das nossas obras audiovisuais. Por fim, peço-lhe apenas que reflicta num aspecto: o que lemos aqui são apenas opiniões, com tudo o que isso implica. Sim? Obrigado.

Publicada a 06-06-2011 por Espectador cansado ao quadrado