Cinecartaz

Fernando Castro Lopes

São Jorge, o santo lutador

P/ FLOP (spoiler)

Olhe, eu não li nada sobre essa associação entre o santo e o filme, ou o protagonista. Todavia, parece-me que, qualquer que seja, não vai adiantar de muito: São Jorge é, desde finais do século XIV, reconhecido como padroeiro de Portugal e trata-se de um lendário mártir e guerreiro cristão, um soldado romano da fé. Portanto, é possível atribuir, 2 coisas a Jorge figuradas no filme atinentes ao santo - lutador, de que a ideia de boxeur é satisfatória, e outra de uma imagem de Portugal, ou seja, de que o protagonista incarna e representa Portugal, (por entre as agruras, ainda esperançoso, cheio de 'fé', como o santo?, ou desapontado, desencantado, de ânimos revolteados?). É até possível que haja outras ligações ou perceções a este respeito; esta é a representação que eu topei. Mas, como referi no arranque, não favorece em nada a interpretação global do filme, porque, no meu aviso, essa relação, a existir é errada. Melhor seria ver apenas uma coincidência de leitura ou sinal aberto entre o nome do protagonista e o santo, de que o protagonista parece ser devoto, invocando-o - 'São Jorge, rogai por nós' - quando levanta o fio que traz ao pescoço e, no final o entrega ao filho. A minha opinião, de que já expendi largas linhas, é esta: já não bastava a ideia da Troika ser abusiva e um mau pretexto ou justificação para a trama do filme, pior vai essa alegoria, se for o caso.

Cumprimentos.

Publicada a 20-03-2017 por Fernando Castro Lopes