Cinecartaz

Fabrice Schurmans

Uma surpresa

Um filme que gere bem as elipses narrativas, ou seja, ao contrário de muitos biopics norte-americanos, não tenta representar a biografia completa da personagem principal. Centra-se no momento que antecede a ascensão de Vidocq numa França onde tudo é possível para os audaciosos. Apesar de se tratar de um filme histórico (com reconstituição cuidadosa de vários bairros de Paris no início do século XIX), há no guião muitos ecos da França contemporânea (até uma discreta alusão aos “gilets jaunes”). Esta tranche de vie de François Vidocq, ex-prisioneiro que se torna diretor oficioso da “Brigade de sûreté”, parecerá romanesca demais. Neste caso, a realidade ultrapassa e de longe a ficção. Boa direção de atores, tanto os principais (Vincent Cassel em Vidocq) como os secundários (Fabrice Luchini em Fouché) não falham na ocupação do espaço bem como na dicção (fraca em muitos atores franceses da nova geração). De realçar também, a banda sonora de Marco Beltrami e Marcus Trumpp.

Publicada a 21-11-2019 por Fabrice Schurmans