Cinecartaz

José Miguel Costa

3 estrelas

"Os Órfãos de Brooklyn" (escrito, realizado e protagonizado por Edward Norton) é um policial noir (com uns laivos de "filme social") cuja acção decorre no contexto da Nova Iorque dos anos 50, mas que se debruça sobre uma temática que não poderia ser mais actual e global, a gentrificação das grandes cidades (e os consequentes mecanismos criminosos por detrás da especulação imobiliária).

A película não acrescenta nada de novo ao convencional género cinematográfico em que se insere, nomeadamente ao nível da (monótona, desinspirada/previsível e algo desarticulada) narrativa (que incide sobre a investigação levada a cabo por um solitário detective particular, portador de Síndrome de Tourette, com o objectivo de encontrar respostas para o móbil do assassinato do seu chefe, mentor e melhor amigo), e nem sequer o grande actor Edward Norton consegue elevá-la com a sua actuação (demasiado "afectada" pelos tiques físicos do seu personagem, que lhe retiram alguma credibilidade).
No entanto, tal não significa estarmos perante uma obra descartável, já que esta "dá cartas" no que concerne à (magnífica e sedutora/elegante) recriação de época (uma autêntica ode de amor à cidade que nunca dorme) e à banda de sonora de excepção (que conquista irremediavelmente os nossos ouvidos com um jazz negro e a voz celestial do deus Thom Yorke).

Publicada a 19-11-2019 por José Miguel Costa