Cinecartaz

Fabianny Deschamps

Sonho de cultura

Quero dar os meus parabéns aos realizadores por este filme tão bonito. Para além da imersão temática que propõe, leva a viver algo da transcendência dos seres e do poder da arte. Embora a palavra não seja elegante, é a meu ver um filme de "invólucros", em que os corpos, os instrumentos e o edifício se tornam veículos, e veículos ainda mais comoventes por tentarem transmitir, através da perspectiva do filme, algo que escapa ao entendimento e a qualquer representação: o belo. Ou seja, se os rostos literalmente retorcidos de tanto serem habitados e os instrumentos maltratados exaustos contarem a evidência desta beleza universal, o que conta este palácio decrépito, cheio de fissuras e de humidade? Além de encarnar a psique de um estado doente, deficiente na sua relação com a cultura, ergue-se o espelho assombroso e triste do lugar dado à cultura neste país. E o belo, como uma flor no alcatrão, desabrocha, apesar de tudo, onde estiver.

Publicada a 30-11-2019 por Fabianny Deschamps