Cinecartaz

David Miguel

Quero a minha mãezinha!

A percepção que tive do filme foram os sentimentos opostos (ora de um lado, ora de outro) que a filha tem para com o seu pai. Fiquei com a ideia de que o filme é um filme "aberto", ou seja, estimula a imaginação do espectador.
Doeu quando o idoso chama em lágrimas e encolhido: "Quero a minha mãezinha! Quero a minha mãezinha!..."

Publicada a 09-07-2021 por David Miguel