Cinecartaz

José Miguel Costa

4 estrelas

"Marighella", a primeira longa-metragem do actor Wagner Moura, transporta-nos até à década de 1960 para mitificar/romantizar o "inimigo número 1" da ditadura militar brasileira (instaurada em 1964), Carlos Marghella (ex-deputado comunista, escritor e, acima de tudo, herói da luta armada), que liderou um pequeno grupo de guerrilheiros (um dos primeiros opositores ao regime, já que inicialmente o fascismo teve forte apoio popular) até à data do seu assassinato pela policia, em 1969.

É um filme detentor de uma narrativa algo maniqueista, mas desculpamo-lo por tal aspecto (aliás até agradecemos, afinal posiciana-se do lado certo do espectro político). E tal "mal menor" acaba por ser (bem) compensado pelo dinamismo que é imprimido à sua intimista e intensa História (graças ao recurso quase constante a uma frenética câmara de mão), bem como pela performance de encher o olho do grande Seu Jorge.

Publicada a 25-05-2021 por José Miguel Costa