Cinecartaz

Fernando Oliveira

Um lugar silencios 2

O primeiro “Um lugar silencioso” era um filme bastante engenhoso na forma como a partir de uma história simples - a Terra foi invadida por uma raça alienígena, predadora, que caçava os humanos até à beira da extinção – nos instalava num desconforto enervante. E esse engenho baseava-se numa escolha muito inteligente: os seres invasores são cegos mas possuem uma audição extraordinária; isto obrigava os sobreviventes a viverem em silêncio, os diálogos quase não acontecem. A narrativa era obrigatoriamente trágica, e tinha uma cena de um parto bastante intensa. O filme de Krasinski cedia alguma vezes ao tanto-faz (aquele campo de milho, quinhentos dias depois da invasão), mas não deixava de ser interessante.
Lembro que a história seguia uma família que vivia numa quinta isolada, começava e acabava com uma morte (uma criança no inicio, o marido no fim), nascia um bebé e abria uma porta à esperança: a descoberta de uma frequência sonora que interferia com a sensibilidade auditiva dos seres, perturbando-os o suficiente para os matar.
Ora este segundo filme começa por nos contar o primeiro dia da invasão para nos apresentar um personagem que irá ser fundamental na história contada. Depois salta para o dia do final do filme anterior e conta como esta família se mete ao caminho em direcção a uma das fogueiras que os sobreviventes acendiam à noite como prova de vida. Mas neste filme alguns sobreviventes são quase tão perigosos como os alienígenas e a história separa a família na procura de uma possibilidade de sobreviverem.
O filme não é pior nem melhor que o primeiro, continua a ter momentos bastante tensos e emocionantes, às vezes um pouco à deriva, mas que continua a conseguir prender-nos ao ecrã. E tem duas actrizes espantosas, Emily Blunt e Millicent Simmonds.
E deixa tudo em aberto para um terceiro filme, aonde iremos provavelmente conhecer os verdadeiros invasores – estes , dos filmes, parecem ser apenas animais de caça para limpar o planeta para os “donos”.
(em "oceuoinfernoeodesejo.blogspot.pt")

Publicada a 10-06-2021 por Fernando Oliveira