Cinecartaz

Fernando Oliveira

O esquadrão suicida

Não tenho paciência para os filmes de super-heróis e afins (ou seja “velocidade furiosas” e quejandos); mas se consigo gostar de alguns são aqueles que conseguem arranjar um contexto verosímil para a narrativa (como por exemplo os dois primeiros filmes da segunda vida dos X-men) ou aqueles que levam a diegese para a irrisão total, sem caírem no ridículo ou no mau gosto (os “Deadpool”, por exemplo), como os dois filmes dos “Guardiões da Galáxia” realizados por James Gunn.
Como este segundo “Esquadrão suicida” é realizado por Gunn foi com alguma curiosidade que o fui ver. E então?
Coisa boas: continua a não se levar muito a sério e, por isso, a ser mais divertido que o primeiro; foge como o Diabo da cruz do politicamente correcto e isso é muito bom; a personagem de Harley Quinn (Margot Robbie) e a forma desconcertante como se comporta; e tem Daniela Melchior que não é apenas o melhor do filme, como tem a personagem mais importante, e intensa, no desenrolar da história.
Coisas más: Pum-cratapum-pum-pum, mais pum-catrapum-pum-pum.
Conclusão: muito pum-catrapum-pum-pum, com piada e com “Harley Quinn” e Daniela Melchior.
(em "oceuoinfernoeodesejo.blogspot.pt")

Publicada a 10-08-2021 por Fernando Oliveira